1906

1906

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Os Violinos e música dos outros

Esperei até hoje para falar sobre o jogo contra a Fiorentina. Queria ler e ouvir os comentários

Descobri que a equipa italiana vai descer de divisão. São muito fracos, jogam de forma muito aberta e a defesa só mete água. Fica aqui o meu desejo para que se aguentem na primeira divisão. 

O resultado é o menos importante, só não posso admitir que se diga que o Sporting rematou três vezes e marcou três golos. Não é verdade. Tivemos a sorte do nosso lado, mas procurámos ganhar. É essa sorte e essa vontade de ganhar que tem de existir sempre em Alvalade. Seja contra quem for. 

Começámos o jogo com uma espécie de 442. O Magrão, que tem de correr um pouco mais,  e o André Martins estavam mais descaídos para as faixas. Não foi um mau ensaio. A equipa teve bola e conseguiu sair a jogar. Os nossos laterais são fortes a subir, e ganhámos mais um central de qualidade. 

Vou ser muito honesto. Podemos lutar para o 3º/4º lugar. Tenho essa convicção, porque vamos jogar sem pressão de títulos, somos ridicularizados na comunicação social e só jogamos bem quando temos sorte. Ninguém espera nada este ano, daí ser uma grande oportunidade para mostrar o trabalho que está a ser desenvolvido. Mesmo com tudo isto a nosso favor, em vez de estarmos juntos, temos um grande problema. Os sportinguistas. 

Eu sei que a equipa vai perder jogos, não podemos garantir que haja vitórias contra os rivais e até podemos repetir o 7º lugar. Tudo é possível, apesar de minha crença escrita acima. Mas existe um grupo, não tão pequeno assim, que quer que tudo falhe. Querem assobios no final do jogo com o Arouca qualquer que seja o resultado. Em Outubro querem o terceiro treinador na época e eleições em Dezembro. Acham que o presidente vai despedir jogadores ao intervalo por falharem golos. 

Tudo é possível, a diferença é que não o desejo. Mas alguns desses velhos de Alvalade, que são piores que os do Restelo, todos os dias acendem as suas velas. 

Enquanto estivermos contra nós, o caminho vai ser mais difícil. 

Quero acabar com os casos. O Onyewu é um jogador que não temos igual no plantel. Para o jogo aéreo o mais próximo será o Fokobo. Mas o salário é muito alto e com as operações extra, deu mais um passo para a saída. O Labyad é um caso muito estranho. O que eu penso muito sinceramente, é que o ex-presidente Godinho pensou que este jogador iria render tanto que na época seguinte era vendido, errou. Jeffrén é outro caso, pode ser o nosso melhor extremo, mas não corresponde. Boula, Pranjic e Bojinov é para transferir. 

O amigo Bruma. Parece que entre hoje ou amanhã fica a situação resolvida. Se tiver mais um ano de contrato, é para vender. É este o meu diálogo.   


PS: 15h45. Bela hora para começar a vencer.



Saudações Leoninas

Sem comentários:

Enviar um comentário